Os Dez Mandamentos da Lei de Deus

teologia-fundo-laranja-2

Os Dez Mandamentos constituem a base para a moral humana. Sua pratica proporciona bênção para o povo de Deus e para humanidade. É para o povo de Deus de uma forma coletiva, porém, inicia-se de forma pessoal. Os mandamentos estão escritos na segunda pessoa do singular, ou seja, Deus fala pessoalmente a cada ser humano. A Nova Aliança firmada em Cristo não anula o compromisso com os Dez Mandamentos, pelo contrário, ele deixa de estar na pedra e passa para o coração.

Dez Mandamentos: Compromisso e Amor

“Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas”. (Matheus 22.35-40)

O primeiro grande mandamento; Quando Jesus, disse; “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua força e todo teu entendimento”, estava referindo se aos primeiros quatro mandamentos, ou seja, o compromisso é com a pessoa de Deus.

O segundo grande mandamento; Porém, quando disse “amarás o teu próximo como a ti mesmo”, Jesus referiu-se aos outros seis mandamentos, sendo o compromisso com o próximo.

A base dos Dez Mandamentos é o Amor. Jesus ensinou que um dos propósitos da obediência aos mandamentos é a prática do amor. Nos dois mandamentos Ele deixou isso muito claro. O Amor é a essência da lei, como disse Paulo: “… o cumprimento da lei é o amor”. Romanos 13.8-10.

A Graça nos Mandamentos. “Quanto ao decálogo (Ex. 20.1-17), a base inteira de suas sanções é declaradamente a redenção que Deus opera pela graça. Os mais solenes avisos contra a desobediência  (produto da descrença e da rejeição de Deus) se vinculam às mais abundantes promessas da graça.

Dez Mandamentos da Lei de Deus

Afinal quais são Os Dez Mandamentos?

1 – Deus é singular e exclusivo. “Não terás outros deuses diante de mim”. (Êxodo 20.3). Não basta acreditar na existência de um Deus. Esse Deus é único precisa ser reconhecido e obedecido como a autoridade moral de todos os atos humanos. Também só há um Deus no que se refere à questão da adoração e do serviço espirituais. O Deus único merece toda honra. O politeísmo (adoração a vários deuses) é uma tentativa insensata de arrumar um deus para cada atividade. O Deus dos céus é Único e Poderoso.

2 – Deus é incomparável. “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra”. (Êxodo 20.4). No nosso relacionamento com Deus, qualquer representação humana (imagens) que cupê o lugar de Cristo como único Mediador, constitui-se em pecado. O apego exagerado às pessoas, ou qualquer outra coisa, que se tornem ídolos ou substituam o relacionamento com Deus, também é pecado. O uso de qualquer objeto, amuleto, patuá, plantas ou animais com a finalidade de trazer proteção espiritual, de forma semelhante, consistem em transgressão ao segundo mandamento.

3 – Deus é Santo. “Não tomarás o nome do SENHOR teu Deus em vão; porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão”. Êxodo 20.7. Tomar o nome de Deus em vão é abusar do nome de Deus, usando-o para o mal sem pensar, sem reverência, sem sobriedade, com difamação, com ofensa e sem compromisso (Ai meu Deus). O nome de Deus não deve ser gracejado, mas respeitado. E o termo nome não dever ser compreendido apenas como um título, e sim como Sua própria pessoa.

4 – Deus é o Senhor do Tempo. “Lembra-te do dia do sábado, para santificá-lo”. (Êxodo 20.8). Este mandamento pede que leiam nosso artigo especial sobre este mandamento. “Santo Sábado do Senhor Guardar ou Não Guardar?”.

5 – Deus é o Senhor da Família. “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá”.(Êxodo 20.12). Honrar traduz o vocábulo kabod e significa dar peso, dar importância, dar significado, valorizar, ter apreço, prestigiar. Muitos pais são explorados, humilhados, colocado de lado até deixados no isolamento dos asilos e pensionatos pelos filhos. Os filhos devem honrar e obedecer aos seus pais, e sustenta-los na velhice.

6 – Deus é Senhor da vida. “Não matarás”. (Êxodo 20.13). A vida é um Dom de Deus. A nossa responsabilidade é administrá-la bem. Delimitar a vida de alguém ofende o Criador. Ninguém pode arbitrar sobre quem deve deixar de viver. Nossa bandeira deve ser sempre em favor da vida e contra o suicídio e todo tipo de assassinato.

7 – Deus é Senhor do Matrimônio. “Não adulterarás”. (Êxodo 20.14). A proteção da integridade da família era importante, pois era a base da sociedade. A crise ou o esfacelamento da família acarretaria a crise ou o esfacelamento da sociedade. Nosso corpo em tudo deve glorificar a Deus. Ele é o santuário do Espirito Santo. A impureza sexual começa nos pensamentos, evolui nas palavras, escancara na oportunidade, culmina com o erro, e gera a morte.

8 – Deus é o Senhor que respeita a propriedade. “Não furtarás”.(Êxodo 20.15).As modalidade de furtos incluem desde a tradicional apropriação indébitas às formas mais sutis. Uso de violência, fraude comercial, mediadas comercias indevidas, preguiça e indolência no trabalho, exploração de preços e impostos, adulteração de produtos, preços, medidas e regras comerciais, apropriação indevida de comissões e gorjetas, subornos, desvio de verbas públicas, ágio e qualquer forma de desonestidade pessoal, comercial a esse mandamento. As possibilidades de furtos abrangem o rico e o pobre. Independente da classe social o furto é condenado pelo Senhor. Jesus tratou a questão do furto como algo que broto do coração.

9 – Deus é Senhor da Verdade. “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo”. (Êxodo 20.16). O falso testemunho, independentemente se a intenção for boa ou má, ou se a situação for favorável ou não, ainda assim, constitui-se desobediência, sendo pecado diante de Deus.

10 – Deus é o Senhor do contentamento. “Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo”. (Êxodo 20.17). Este mandamento procura inibir a cobiça em geral. Tudo o que pertença ao próximo: esposa, animais e bens, devem ser respeitados também físicos, emocionais e espirituais. A palavra grega é epithumi e pode ser traduzida por cobiça, intenção impura, ambição, desejo intenso, desejo ardente, aspiração. A cobiça também é apresentada como concupiscência (maus desejos). A Bíblia mostra que ela pode gerar o amor ao dinheiro, que é a raiz de todos os males. Devemos contentar-nos com o que temos.

Conclusão

Nesses mandamentos, Deus, o Criador, declara a lei da vida. Desse modo torna uma benção para os homens, uma benção de vida. Tornam-se dádivas; e mais, são a aliança que Deus fez como seu povo, e aliança é promessa, vivência, Evangelho.

Os Dez Mandamentos da Lei de Deus
5 (100%) 1 vote

Receba Estudos Bíblicos Grátis 

Coloque Seu Email no Formulário

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!